Domingo motivacional.

Faz parte acreditar,

Evoluir e cair

Para aprender a levantar.

 

Faz parte crescer,

Confiar em si

Quando o mundo escurecer.

 

No fim, o que resta é a oração

O abraço e a fé,

Seguir o coração

E convidar pra pra um café.

Anúncios

Me, e se, perdoe

“O que eles chamam de nossos defeitos é o que temos de diferente deles.”

Eu li essa frase no momento em que eu tava com um mundo de coisas sob a minha cabeça – e os meus olhos -. Tinha acabado de sair da terapia, e vinha falando sobre coisas que eu não sabia que me incomodavam até começar a me ouvir falando delas, sabendo que esqueci da existência quase que como um mecanismo de defesa.

A verdade é que as pessoas procuram cuidar da própria saúde mental, mas a verdade é que por estarmos em constante relação com os outros, as vezes o que pode acontecer é de nos perdermos na nossa própria projeção. Na constante idealização que nós fazemos e na consequencial procura de ganhar mais, buscar mais, estudar mais, trabalhar mais. Sim, nós somos uma geração que pegou a transição entre os “tecnologia”. Sim, sabemos tanto de notícia da atual situação política do país quanto dos memes que rodam a internet. Não, isso não nos ajuda a ter mais saúde mental que as outras gerações.

Tudo isso pela mania de querer o nosso próprio processo como todas as outras coisas que vem acontecendo no mundo: fast. Assim como as comidas, os bancos e os aplicativos, a minha travessia de autoconhecimento precisa ser o mais rápida o possível pois eu tenho reunião às 14 hrs. A essa demanda, fica de antemão o aviso que de evolução não é um destino, é um processo. Pessoal e intransferível. E seu. Assim como os dos outros são deles. E que tal aprendermos ter mais cuidado com todos os processos e sua relação? Porque da mesma que forma que crescer é demorado, assim como se conhecer, também é possível.

_O que eles chamam de nossos defeitos é o que nós temos de diferente deles._

Poder.

Resultado de imagem para try tumblr

Eu pensei em escrever e não sabia,

Sentei para começar a rimar; nada saía

Os pensamentos dançavam, e já era dia.

 

Um monte de planos eu fiz,

Várias metas eu tracei.

Mas devido às pedras no caminho

O caminho das pedras eu não achei.

 

Eu li, escrevi, estudei e vivi

Além das teorias eu deveria caminhar

Alguma coisa aconteceu,

Não consegui mais me concentrar.

 

Então, este é um desabafo

Não sobre concentração, mas a falta dela

Que fez com que tudo que eu planejasse

Voasse livre pela janela.

 

Por isso, descansei e reuni

Toda a coragem que pudesse precisar

Pra respirar fundo e entender

Que há sempre como recomeçar.

E que na vida, se perder

É o preço pago por não tentar.

Atual estado.

Um copo de café na mão,

Olhando o movimento da vida

A prece feita no coração

Como quem espera uma saída.

Nesse caos não há solidão,

Pois estamos em um mesmo caminho

Mas são sapatos diferentes,

Cada um se calça sozinho.

Os dias apertam:

O passo, a calça

E o abraço que enlaça

O semblante de quem diz:

“Já não aguento mais”.

Nesse caos cada um se calça,

Nesse caos cada um pega seu barco

Em busca de um cais.

Pois em cada semblante há uma mensagem

Remetendo ao desejo de paz.

Uma história aleatória

O que inspirou o texto:

Nós somos o que fizemos,
E o que fazemos noite e dia
Somos nossas dores e saudades
E aquele sentimento que não nos cabia.

Somos a resistência em verso, canção
A nossa dança e movimento
O nosso acorde no violão
Todo o nosso acolhimento.

Somos um sincero sentimento
De joelho que descansa, dobrado no chão
Somos a rima, a prosa e o “inté”
Do rap à opera, somos uma legião.

Somos todos um que se olha o espelho
E entende que começou mais um dia
Entende que a folha da história
Quando não movida, é vazia.

A vontade de correr e ficar
Calar e gritar
Se concentrar em ler,
Ou mil poesias declamar.

A tanta vontade de vencer,
Contra quem nunca quis batalhar.

Texto pessoAU

Sinto sua falta, e tua presença
Lembro de você em toda casa,
Mas agora você é um anjinho
Que inventou de criar asa.

Lembro que você era um lord
Desses que quem vê se engraça,
Que amava qualquer pessoa no mundo
Entregava lambida de graça.

Eu não entendo como alguém tão pequeno
Do amor foi tão grande professor
Pra nós que ficamos aqui,
Você não imagina a dor.

Te vi nascer e andar
Todos os ursinhos pegar,
Todo o tipo de ração comer.

E vi você depois de velhinho
Não reclamar nem chorar
Deixando a vida acontecer.

Longe de mim te prender aqui
E não deixar a vida agir naturalmente
Mas é que dói não sentir
A sua patinha presente.

Olavo Tobias, rapaz,
Você vai deixar tanta saudade.
Pois essa escritora tanto te amou
E vai te amar pela eternidade.

Atualidade.

A vida é complicada
O ser humano surpreende
Dá dois passos pra trás
A cada passo pra frente.

O futuro é complicado
De desenrolar na nossa mente.
Quando já não sabemos
A quantas anda o nosso presente.

Há uma guerra de pensamentos,
A ideologia é munição
Se segue batendo cabeça
E afastando o coração.

De nada adianta o ego
E o lattes tão extenso quanto o mundo
Se, ao encontrar o outro
Não o enxerga o mais profundo.

A rotina que me inspira,
É a mesma que faz suspirar
De cansaço e esperança
De que as coisas vão mudar.

Portanto, não me custa nada
Rezando para Aquele que acredito,
Pedir pelo rumo do mundo
Que caminha bambo, ao infinito.

A oração da semana.

Que o Senhor nos guarde,

Ilumine e esteja a guiar.

Os sete dias desta semana

Que acabou de se iniciar.

 

Que, munidos de força e amor,

Sejamos focados naquilo que importa.

E esqueçamos as janelas fechadas

Fiquemos atentos a aberta porta.

 

Que seja uma boa semana,

Tanto pra você quanto pra mim.

Cheia de muitas bençãos,

Sorrisos que não têm previsão de fim.IMG_4095

Re-descoberta da semana.

“Nesse nosso desbravar
Emanemo-nos amor
Até quando suceder
De silenciar
O que nos trouxe até aqui”.

Sejamos chão, fé e calma

Linhas tortas de quem se constrói

Sejamos todos os nossos silêncios,

Que procuram costurar a alma.

 

Sejamos empatia e afeto

O acaso que se acode,

As palavras de simpatia

Que no coração vão direto.

 

Sejamos os suspiros apaixonados,

Os sorrisos de estar entre querer bem.

Os defeitos de estarmos certos,

As qualidades de estarmos errados.

 

Entender que não somos tudo,

Mas também somos muito

Somos construtores da nossa história,

De um significado bem pronfundo.

Nunca nos achemos pouco,

Nós importamos sim, pro mundo ❤ 🙂

Redescobrindo atos